Casal em frente as casas coloridas da cidade

Procurando um refúgio com calmaria, boa comida e lugares históricos dentro da badalada Ilha de Florianópolis? Então seu lugar é em Santo Antônio de Lisboa!

Santo Antônio de Lisboa foi uma das primeiras freguesias de Florianópolis, e começou a receber imigrantes portugueses por volta de 1700. Esse pequeno cantinho português, localizado no noroeste da ilha, é repleto de construções típicas da herança colonial açoriana, como igrejas, casarões e pequenas casas com características típicas. Por se tratar de ~quase~ uma vila de pescadores, o bairro praia é extremamente recomendado para quem quer relaxar, e passar um dia inteiro por lá, é mais do que aconselhável ao visitar a ilha da magia.

Ah, e ele também é um distrito formado pelos bairros Sambaqui, Cacupé e Barra de Sambaqui. Juntos, formam a rota gastronômica do sol poente.

Casal junto ao letreiro de Santo Antônio de Lisboa

Em uma de nossas viagens à Floripa, decidimos fugir das multidões e nos hospedar em algum lugar mais calmo, mas que fosse próximo às praias que queríamos visitar. Nossa escolha foi mais que acertada: paramos na pequena Santo Antônio de Lisboa (praia da qual nunca havíamos ouvido falar!).

Nós simplesmente amamos o local! E hoje, viemos contar um pouquinho o que tem de legal para fazer por lá - e te inspirar a quem sabe, dar uma chance e visitar esse bairro histórico e bucólico.


Igreja de Nossa Senhora das Necessidades

Menina de vestido branco em frente a igreja branca, com porta azul e detalhes laranjas

O cartão postal da cidadezinha é a Igreja Nossa Senhora das Necessidades, e por isso, é parada obrigatória para quem visita Santo Antônio. Construída em 1750 pelos portugueses, a igreja de estilo barroco e ar simplória é um patrimônio histórico tombado pela prefeitura da cidade.

Além de ser linda e ter uma arquitetura maravilhosa, a igreja passa a sensação de retorno ao passado, para aqueles que a visitam. Funciona diariamente e a sua entrada é gratuita.


A primeira rua calçada de Florianópolis

Imagem da praça e da rua da cidade

E é em Santo Antônio de Lisboa que está localizada a primeira rua calçada da ilha de Florianópolis!

Em 1845, o imperador Dom Pedro II e a Imperatriz Thereza Christina visitaram Santo Antônio de Lisboa. E a primeira rua calçada da capital foi construída para que ambos pudessem circular pela cidade. Os moradores se esforçaram e construíram na época a Praça Roldão da Rocha Pires, e assim, o primeiro calçadão da cidade, que foi inaugurado por Dom Pedro II. O calçadão é uma lembrança dos traços da colonização açoriana na Ilha de Santa Catarina.

Placa com texto e casa laranja ao fundo

Hoje, a rua é aberta para passagem ao público, e aos finais de semana - e algumas noites de verão - recebe a feira dos Alfaias, uma feira de artesanato com produtos de artistas locais.


Lojas de artesanato

Casa branca, com batentes em vermelho e placa escrito artes

Aproveite o passeio e encante-se nas diversas lojinhas de artesanato espalhadas pela orla e pela rua da Igreja. É possível encontrar desde objetos de diferentes manifestações artísticas, como quadros e esculturas, até os itens mais tradicionais, como a renda de bilro, herdada da cultura portuguesa (açoriana).


A praia e o melhor pôr do sol

Praia com mar ao fundo e barcos

A praia de Santo Antônio de Lisboa não é muito procurada para banho. Possui areia grossa, com um pouco de cascalho e pedrinhas. E por se tratar de uma baía, os visitantes e moradores não tem o hábito de se esticar na areia para se bronzear, mas sim para curtir a calmaria do mar. O banho de mar é permitido, mas poucos se aventuram em meios aos barquinhos dos pescadores.

A água é gelada, mas ótima para refrescar nos dias quentes. Mesmo o gelo da água e sua cor mais escura não nos intimidaram, nos rendemos e acabamos entrando para aproveitar uma tarde ensolarada por lá.

Santo Antônio de Lisboa - Florianópolis / SC

A praia em si é bem pequena, são cerca de 700 metros de extensão. A orla praticamente acompanha esse trajeto, mas é revitalizada, com decks de madeira e vários bancos para se sentar e apreciar a paisagem a volta, onde é possível avistar a Baia Norte e a Ponte Hercílio Luz (cartão postal e ponte de acesso à ilha de Florianópolis).

E não ouse sair de Santo Antônio de Lisboa sem apreciar o pôr do sol mais bonito de toda ilha! Acredite, é uma experiência inesquecível.


Gastronomia

Conhecida por fazer parte da rota gastronômica do sol poente, Santo Antônio de Lisboa é a pedida perfeita para terminar a noite comendo nos barzinhos da orla. Os restaurantes estão espalhados pela beira mar, na chamado Rota do Sol Poente. Por lá, opções de peixes, frutos do mar e lanches não faltam!

Em uma das noites mais quentes, nós decidimos escolher um restaurante e ter a experiência gastronômica da cidade Pegamos uma mesinha na orla, bem de frente ao mar e curtimos a vista até nossos pedidos chegarem. Escolhemos o Freguesia Bar, e nos deliciamos com uma farta porção de fritas (R$18), iscas de frango (R$22), iscas de peixe (R$44) e de sobremesa, petit gateau (R$17). Um refeição mais que completa, e tudo do mais delicioso! As bebidas por lá custam de R$5 a R$8.

Leia >> Floripa: visitando 3 praias em 3 dias

Casal na escada da igreja

Como chegar?

Saindo de Florianópolis, em direção ao norte da ilha, siga pela rodovia SC-401. Acompanhe as placas indicando a praia, que fica cerca de 15km do centro de Florianópolis. A entrada para o bairro fica um pouco antes da praça de pedágio desativada, próxima ao supermercado Fort Atacadista. O caminho é bem sinalizado e tranquilo de achar!

Para quem vai de ônibus, o app de transporte Moovit indica que as linhas 1121 Ingleses/Santinho; 233 Tican-Titri via UFSC; 332 Tisan-Ticen via Beira-Mar; e 846 Cacupé passam por Santo Antônio de Lisboa.


Menina sentada em uma janela azul com batente laranja

Vai se hospedar? Conheça nossas dicas!

Nós encontramos nossa hospedagem pelo Airbnb (infelizmente, o lugar não está mais disponível para reservas), pegamos uma casa de hóspedes com uma vista incrível para o mar. Mas por ser um lugar pequeno, a cidade não tem muuuuuitas opções de hospedagens - ela é mais procurada para passeio, do que hospedagens.

Bem no centrinho tem um mercadinho, porém, os preços são bem altos. Para contornar essa situação, nós fizemos compras no supermercado Fort, localizado na rodovia SC-401. E é essa mesma rodovia que dá acesso às praias mais badaladas! Para visitar as outras praias, a distância é curta, cerca de 12km até a praia da Daniela, por exemplo. Porém, apesar da curta distância, o trajeto pode se tornar longo e lento, pois em dias de muito movimento (finais de semana e feriados), a rodovia fica lotada de carros, e um trajeto de 15 minutos, facilmente vira 1 hora de estrada.

Leia >> Airbnb, experiências diferentes em hospedagens: vale a pena?

Casal abraçado em frente a casa branca com vermelho

Sobre alimentação, acabamos fazendo algumas refeições em casa (e nas praias que visitamos), mas a noite nós saíamos para o centrinho, e por lá comemos no Freguesia Bar, tomamos sorvete na primeira rua asfaltada e aproveitamos um açaí na avenida que dá acesso a rodovia. Pizzarias, hamburguerias e restaurantes são facilmente encontrados, tanto nas avenidas principais, quanto na região mais próxima da rodovia.

Para nós, valeu super a pena a hospedagem por lá. Ficamos 5 dias e aproveitamos muito (descansamos bastante também!). Fugimos no agito, e acertamos em cheio, além de conseguir economizar bastante no valor da hospedagem, se comparado as outras praias. Ainda, fomos na virada do ano e pudemos assistir os fogos de artifício da varanda da casa que estávamos. Foi perfeito!

Visitem Santo Antônio de Lisboa e se encantem, assim como nós.

Casal fazendo selfie em frente a praia

Até a próxima aventura!
Ellen ❤ Maicon

Tags:  Florianópolis  |  SC  |  Praia

Se você gostou desse post ou ficou com alguma dúvida, deixe seu comentário abaixo!


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -  - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Procurando um refúgio com calmaria, boa comida e lugares históricos dentro da badalada Ilha de Florianópolis? Então seu lugar é em Santo...

Casal se abraçando em frente ao mar

Oficialmente, a ilha de Florianópolis tem 42 praias. Extra oficialmente? Mais de 100! A Ilha da Magia, como é conhecida a capital de Santa Catarina, durante o verão, enche de turistas ávidos por praias com águas lindas, alguns atrás de um mar calmo e outros querendo onda (e tem mar pra todo mundo!). Gaúchos, catarinenses e principalmente argentinos, dividem as areias das dezenas de praias da região.

Na nossa última viagem de férias durante o verão, fomos enfim para a praia, curtir, relaxar e aproveitar o máximo que pudéssemos. O destino que escolhemos foi a ilha de Florianópolis, um lugar relativamente perto de Porto Alegre (apenas algumas 8 horinhas de estrada nos separam). Como queríamos conhecer lugares incríveis, selecionamos com muito cuidado as praias que iríamos visitar.

Hoje, viemos aqui contar para vocês um pouco mais sobre as praias da Daniela, do Forte e Lagoinha do Norte, todas localizadas mais ao norte da ilha, perto da cidade praiana em que nos hospedamos (Santo Antônio de Lisboa).

Leia >> Mergulhando (ou não) em Canasvieiras

Dia 1 - Praia da Daniela

Mar com ondas e guarda sóis no fundo

Para o primeiro dia, escolhemos uma praia bem badalada e conhecida: a Praia da Daniela, localizada a 26km do centro de Florianópolis. Normalmente possui as águas bem calmas e quentes, porém, no dia em que fomos, o mar estava com algumas ondas. A faixa de areia da praia é bem pequena, e como a praia estava cheia, foi difícil encontrar nosso pedacinho de chão. Por causa da multidão, nós fomos caminhando pela areia, a direita, até chegar na parte de pedras. Passamos por elas - super tranquilo o trajeto - e encontramos uma parte da praia mais sossegada e com menos ondas. Ao longo do dia, aquela parte da praia também foi lotando.


Praia da Daniela - Florianópolis / SC

Aproveitamos muito nossa tarde por lá. A água estava uma delícia e o dia maravilhoso. Na saída da praia nos demos conta de que ela não conta com duchas, então voltamos enfarofados mesmo, hehehe.

Dia 2 - Praia da Lagoinha do Norte

Vista do morro, com o mar e a areia

No dia seguinte, fomos em uma praia recomendada por um amigo, que também estava de férias por lá. Conhecemos então a Lagoinha do Norte, que fica há cerca de 34km do centro da capital. A praia da Lagoinha é uma das preferidas dos turistas, e não foi diferente com a gente: amamos!

Água de um azul intenso, vasta faixa de areia branquinha e uma paisagem paradisíaca. Além de curtir a praia, ainda é possível fazer uma trilha bem fácil pelo morro, no canto direito da praia. Subindo lá se tem uma vista inacreditável da Lagoinha inteira, de tirar o fôlego! Ainda, é possível voltar da trilha por dentro do mar, pois apesar da distância, a água batia na altura do nosso peito e naquela área, a água é transparente - ótima para quem curte snorkel.

Praia da Lagoinha do Norte - Florianópolis / SC

O único ponto negativo da praia foi a estrutura da mesma. Na beira mar existem apenas 4 restaurantes - extremamente caros! - e não há lugar para parar o carro na rua, então os estacionamentos cobram um alto valor pela diária (depois de muito procurar, conseguimos um por R$25).

Dia 3 - Praia do Forte

Praia do Forte - Florianópolis / SC

Definitivamente encontramos nossa paixão da ilha: a Praia do Forte. Localizada a 25km do centro da ilha, a praia leva esse nome por estar bem próxima da Fortaleza de São José da Ponta Grossa - um antigo forte do século 18. O forte pode ser visitado facilmente a pé, por um trilha bem curta, saindo da praia do Forte em direção a praia de Jurerê. Importante: a entrada na fortaleza é paga e possui horário de funcionamento (que acabamos nos distraindo com o horário e perdendo a visita!).

A Praia do Forte é uma das praias mais tranquilas da região, e por isso nos agradou tanto. Mar sem onda, praia limpa e bonita, e uma grande faixa de areia. Ficamos, inicialmente na parte mais próxima do forte (canto direito da praia) e depois seguimos para a outra parte, quando a praia começou a esvaziar.

Praia do Forte - Florianópolis / SC

A única dificuldade desta praia é a chegada até ela. Para chegar na praia, basta seguir até o fim de Jurerê Internacional e subir uma rua extremamente íngreme e cheia de areia, depois descer outra rua íngreme. Não estávamos em um carro muito potente (um Ford Ká 1.0), então o bichinho sofreu na subida. Acabamos não fazendo o trajeto todo de carro. Estacionamos e fomos a pé pela trilha do Forte. Mas deu tudo certo, e o esforço valeu a pena!


4 pessoas sorrindo na selfie, com mar no fundo

Vai ficar mais dias na Ilha? Se tiver a oportunidade, vá e conheça mais praias! Opções para cada gosto não faltam, e as praias são lindíssimas. Ah, uma dica importante: tente ir em apenas uma praia por dia. Durante o verão, o trânsito dentro da ilha é insuportável, e um trajeto de 15 minutos, facilmente se transforma em 1h30. Paciência nesses dias é fundamental, mas vale a pena o perrengue!

Ainda não conhecemos todas as 42 praias (apenas 5), mas vamos chegar lá! 
E vocês, qual mais amam dentro de Floripa?


Casal de beijando na frente do mar

Até a próxima aventura!
Ellen ❤ Maicon

Tags:  Florianópolis  |  SC  |  Praia

Se você gostou desse post ou ficou com alguma dúvida, deixe seu comentário abaixo!


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -  - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Oficialmente, a ilha de Florianópolis tem 42 praias. Extra oficialmente? Mais de 100! A Ilha da Magia, como é conhecida a capital de S...

Letreiro da cidade de Montevideo

Montevideo, a capital da República Oriental do Uruguai, é uma cidade incrível e com muita opção de turismo, cultura e lazer. Durante nossa estadia de 3 dias por lá, visitamos locais históricos, monumentos, praias, parques, museus, shoppings e tudo de turístico que conseguimos encaixar na nossa rota. Praticamente não paramos no airbnb que alugamos! Apesar do clima instável que pegamos (hora chovia, hora abria sol), nós aproveitamos muito. E viemos aqui contar para vocês o que nós fizemos de legal em Montevideo.

Ciudad Vieja

Ciudad Vieja e Plaza Independencia

É na Ciudad Vieja que se concentram as construções da época colonial da cidade, além de monumentos e alguns museus. Caminhamos lentamento e aproveitando tudo pelo peatonal Sarandí, um calcadão, de uso exclusivo de pedestres, onde se encontram livrarias famosas, lojas e restaurantes. O local é ideal para passear e comer um bom dulce de leche, e até para apreciar um saboroso vinho. Falando em comida, dê uma esticadinha e passe no Mercado de Puerto, um importante centro gastronômico da cidade, tanto para comprinhas, quanto para almoços deliciosos.

Puerta de la Cidadela em Montevideo

No começo desse calçadão, encontra-se a Puerta de la Ciudadela. Esse foi o monumento que mais nos encantou, pois é um dos poucos elementos que ainda restam do período que a cidade era cercada por um muralha. Essa muralha ficava bem na Plaza Independencia, a praça mais famosa da cidade. É nesta praça que está localizado o Mausoléu do General José Artigas - o herói uruguaio. Lá há também uma estátua em homenagem ao general, pois foi ele quem deu ao país a independência da Espanha.


Mulher em frente a arquitetura de um teatro

Teatro Solis

Do ladinho da Puerta de la Ciudadela, encontra-se o mais importante teatro do país: o Teatro Solis. Inaugurado em 1856, possui arquitetura bem próxima dos teatros italianos e oferece visitas guiadas diariamente - em português, espanhol e outros idiomas. Nas quartas-feiras, a visita é gratuita, enquanto nos outros dias é paga (cerca de R$10 por pessoa).


Montevideo 360º - mirador panorámico

Intendência e Avenida 18 de julho 

Saindo do Teatro Solis, em direção a Plaza Independencia, siga pela principal avenida da cidade: a avenida 18 de Julio. Nela, se encontro todo o tipo de comércio e restaurantes. Ah, e a avenida é ótima para garimpar aquele suvenir fofinho!

Também é nessa avenida que encontra-se uma Fonte dos Cadeados - famosa fonte dos eternos namorados. E bem pertinho dela, um ponto turístico muito legal de se conhecer: o Montevideo 360º - mirador panorámico.

Montevideo 360º - mirador panorámico

A entrada é gratuita, e para chegar no mirador basta entrar no Prédio da Intendência e subir no elevador panorâmico até o último andar (são 35 andares!!!). Chegando lá, é possível ter uma visão incrível de 360º da cidade! E para quem gosta de conhecer a cidade, é bacana que estão espalhados vários totens contendo curiosidades de Montevideo (como o prédio mais antigo, por exemplo).


Homem em cima do letreiro escrito Montevideo, com cidade e praia ao fundo

Playa de Pocitos

É bacana separar um tempinho para passear pelas Ramblas - avenidas que margeiam o Rio da Prata - tanto a pé, quanto de carro (nós acabamos passeando mais de carro, pois estava chovendo no dia!). As playas que seguem as ramblas são muito bonitas e bem cuidades. Vale parar em algumas e apreciar.

E aquele famoso letreiro de Montevideo fica em na Playa de Pocitos, então fica a dica para quem quer a famosa foto do letreiro! Uma curiosidade sobre ele: o letreiro muda conforme os eventos do mês na cidade. O monumento constantemente recebe uma cor diferente, além de intervenções artistas. Quando fomos, havia mais um letreiro extra, montado com de 2.000 garrafas plásticas. O "recicla" foi em comemoração ao mês do meio ambiente, e buscava fazer as pessoas refletirem sobre uma das principais contribuições a se fazer para melhorar a gestão de resíduos na cidade: separar os resíduos para reciclagem.


Selfie do casal dentro do estádio de futebol

Estádio Centenario

Localizado no Parque Battle, o Estadio Centenario é um ponto turístico obrigatório para os amantes de futebol! É um símbolo do Uruguai e do futebol mundial. O Estádio foi sede da primeira copa do mundo, lá em 1930, onde o Uruguai se consagrou campeão. Além disso, lá também tem o primeiro museu do futebol do mundo, reconhecido pela FIFA, o Museo del Futbol.

Estádio Centenário de Montevideo

Mesmo para quem não for fã de futebol, vale muito a pena a visita (inclusive, o Maicon, que não é fã de futebol, ficou encantado!), pois o estádio é histórico e tem uma magia muito legal nele.

Essa é uma das poucas atrações pagas que visitamos. O ingresso dá acesso ao museu e ao estádio, e  funciona de segunda a sexta, das 10h às 17h. A entrada custa 150 pesos uruguaios por pessoa (cerca de 17 reais).


Parque Rodó

Parque Rodó

Um dos maiores e mais populares parques da cidade, o parque Rodó fica no bairro de Punta Carretas. Dentro dele há um pequeno castelo (não pudemos entrar para visitar), além de monumentos, exposições de arte ao ar livre e um lago central. É um lugar bem bonito para um passeio e para relaxar.

Durante o verão, pelo que vimos, tem até parque de diversão por lá!


Casal se beijando entre as arvores

Jardín Botánico 

Nós somos os loucos dos Jardins Botânicos, então não pudemos deixar de fora o de Montevideo. Apesar de não ser muito famoso entre os uruguaios, nós fizemos uma visitinha e nos encantamos com o local! O Jardín fica dentro do Parque Prado - na zona nobre da cidade - e o lugar é perfeito para caminhar e relaxar. A variedade de plantas e flores chamou muito nossa atenção, assim como a tranquilidade e segurança do local.

Jardin Botanico de Montevideo

Ainda dentro do Parque Prado, é possível encontrar diversos equipamentos esportivos, assim como um Rosedal, um viveiro de plantas e um Jardín Japonés (infelizmente, este estava fechado no dia em que fomos).


Lhamas caminhando na frente do carro

Parque Lecocq

O Parque Lecocq é uma reserva natural de 120 hectares, que se dedica à conservação da biodiversidade, protegendo animais ameaçados e seus habitats. Localizada há cerca de 30 minutos do centro de Montevideo, o Zoo conta com 33 espécias de animais do mundo inteiro, lagos, florestas e um imenso espaço verde para caminhar e aproveitar o dia. Algumas espécies de animais correm e livres e soltas, enquanto outras ficam em seus espaços reservados.

Parque Lecocq

Existe uma trilha que passa por todos espaços dos animais, e nós fizemos o trajeto de carro (pode ser feito a pé também), sempre respeitando os animais soltos no parque - logo que entramos, fomos recebidos com uma enxurrada de Lhamas saltitantes, livres, leves e contentes! Depois nós descemos e passeamos pelas florestas e pelo meio dos animais.

Não pagamos nada para entrar, mas consta no site que pode ser cobrada uma taxa eventualmente.


Palácio Legislativo de Montevideo

Gastos em Montevideo

Uma viagem à Montevideo não precisa ser cara. Turismo e cultura por lá são extremamente acessíveis - a maioria das atrações são gratuitas. A hospedagem varia bastante: pegamos um apê de Airbnb com preço super ok (R$146 por dia, para o casal), comparado a um hotel na mesma região, que custava facilmente o dobro do valor.

Leia >> Roadtrip no Uruguai para 2 com 3.000 reais! É possível?

O mais caro dos nossos dias em Montevideo foi a alimentação. No Uruguai inteiro, se alimentar não é barato. A vantagem é que normalmente um prato serve tranquilamente duas pessoas - o preço assusta, mas compensa. Optamos por fazer sempre 1 refeição na rua e as outras no apartamento. Um restaurante que recomendamos, onde fomos muitíssimo bem atendidos, a comida era excelente e o preço dentro do padrão Uruguaio, é o Restaurante Biga Pizza y Pasta, sério, vale muito a pena!

Em Montevideo se gasta por um lado, mas se economiza por outro. É uma viagem incrível, e uma cidade deliciosa de se conhecer!


Casal tirando selfie com lhamas ao fundo

Até a próxima aventura!
Ellen ❤ Maicon

Tags:  Uruguai  |  América Latina  |  Roadtrip

Se você gostou desse post ou ficou com alguma dúvida, deixe seu comentário abaixo!


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -  - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Montevideo, a capital da República Oriental do Uruguai, é uma cidade incrível e com muita opção de turismo, cultura e lazer. Durante n...

Texto sobre a imagem

Punta del Este é a cidade litorânea mais famosa do Uruguai, sem dúvida. Só para vocês terem uma noção, no verão, a cidade de 10 mil habitantes chega a receber mais de 250 mil turistas! Como nós tentamos ao máximo fugir de multidões, contrariamos a corrente e fomos conhecer a famosa Punta no inverno, com temperaturas que variaram de 15 a 20 graus (julho de 2019). Foram dias incríveis na praia que conquistou nosso coração 

Leia >> Roadtrip no Uruguai para 2 com 3.000 reais! É possível?

Decidimos ficar por lá durante 2 dias. E foram bem suficientes para conhecer todos os pontos turísticos que queríamos. Quer saber o que conhecemos e ainda de quebra ver uma dica super bacana de onde se hospedar por lá? Então vem com a gente!

Mulher encostada em uma sacada, olhando pôr do sol no mar

Casapueblo

Nossa principal parada turística foi a Casapueblo, para apreciar o famoso por do sol mais bonito do país. Localizado em Punta Ballena (20 minutos do centro de Punta del Este), a Casapueblo era a casa de verão do artista uruguaio Carlos Páez Vilaró, que ao longo dos anos foi se transformando em um museu, hotel e galeria de arte. O complexo arquitetônico construído por Vilaró lembra muito as construções gregas, e por isso o local é conhecido como a Grécia Latina.

Fotos da casapueblo

Passamos a tarde por lá, andando pela casa - as vezes nos perdendo! - , conhecendo as obras de Vilaró, tirando fotos, e por fim, vendo o por do sol. Chegamos cedo para garantir um bom lugar para o "espetáculo", e foi incrível. Todos os dias, durante o por do sol, um poema escrito e narrado pelo artista é reproduzido nos altos falantes. Foi de arrepiar, de tão bonito!

A entrada na casa é paga, e custa cerca de R$40 por pessoa (o ingresso pode ser pago em peso, real ou dólar). O horário de funcionamento é das 10h as 18h, todos os dias da semana.


Los Dedos

Homem sentando em uma escultura de dedos gigantes enterrados na areia

O Monumento Los Dedos - também conhecido como La Mano ou Hombre emergiendo a la vida - é o principal cartão postal da cidade. Criado em 1982, pelo artista chileno Mario Irarrázabal, os cinco dedos gigantes que saem da areia representam o homem emergindo para a vida. A incrível escultura fica localizada na parada 1 da Praia Brava.

Escultura Los Dedos

O artista demorou apenas seis dias para construir o monumento. A mão transformou-se em um dos símbolos de Punta del Este e foi o modelo inicial para que ele criasse outras obras, hoje exibidas em vários países como Espanha (1987), Deserto de Atacama (1992), e Veneza (1995). Vale a pena dar uma paradinha por lá.


Cassinos

Fotos coloridas das máquinas de um cassino

Cassinos são extremamente comuns no Uruguai, então aproveitamos e fomos visitar o cassino mais famoso da cidade: o cassino Conrad. Para nossa surpresa, o cassino não recebe mais este nome, mas continua sendo um dos mais famosos da região. Não jogamos nada por lá, mas só de entrar (entrada gratuita!), já ficamos extasiados com as cores e a energia que o local tem.

Mulher dentro de aros


Las Playas

Punta del Este significa Ponta do Leste, e literalmente fica em um ponta. Essa ponta (península) marca a divisão entre o Oceano Atlântico e o Rio da Prata. Portanto, dos dois lados de Punta existem praias: de um lado, uma praia com ondas (lado do oceano) e do outro, praia com águas calmas (Rio da Prata).

Casal tirando selfie em frente a praia

Decidimos percorrer a pé a Praia Mansa, através dos calçadões instalados pela areia. Depois, pegamos o carro e fomos percorrendo toda a orla, até a pontinha de Punta del Este, e voltando pelo lado da praia de água mais furiosas.

Playa Mansa


Passeio bônus:

Casal sentando em frente a uma ponte em curvas

La Barra

Para quem está de carro, vale dar um pulinho em La Barra, cidade ao lado de Punta, para conhecer a famosa Puente Leonel Vieira, ou, Ponte de La Barra. Essa ponte é bem diferente e divertida: toda ondulada, ela cria uma sensação de montanha russa, formando um zig zag. Ela chama muita atenção dos turistas por causa desse formato de minhoca, e obviamento, passamos várias vezes por cima dela, indo e vindo, hehehe.


Onde se hospedar? 


Fachada vermelha do hostel

Como o objetivo da nossa viagem ao Uruguai era economizar, decidimos parar em um hostel, ao invés de um hotel luxuoso (como seria de se esperar ao ir para Punta de Este). Pesquisamos bastante e encontramos um hostel SUPER fofo, acolhedor e encantador!

O Rocamar Hostel, é um hostel boutique que fica localizado na San Sebastian & Lido, mais próximo da entrada da cidade, do que da ponta da praia. Mas é bem localizado e muito bacana. Pegamos um quarto particular com banheiro privativo, e pagamos a bagatela de R$75 a diária para o casal! E neste valor está incluído um café da manhã bem saboroso.

Rocamar Hostel

O pessoal do hostel foi super atencioso e simpático com a gente, e inclusive comentaram que adoram receber brasileiros por lá. Durante o verão, eles tem um bar que funciona para os hóspedes, na parte do jardim interno do local. O clima do local é bem good vibes, bem praiano e bem boutiqueiro. A decoração é linda e ficamos apaixonados.

Se voltarmos para Punta, com certeza iremos ficar lá novamente!


Casal em frente a uma escultura de dedos

Até a próxima aventura!
Ellen ❤ Maicon

Tags:  Uruguai  |  América Latina  |  Roadtrip

Se você gostou desse post ou ficou com alguma dúvida, deixe seu comentário abaixo!


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -  - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Punta del Este é a cidade litorânea mais famosa do Uruguai, sem dúvida. Só para vocês terem uma noção, no verão, a cidade de 10 mil ha...